quarta-feira, 27 de maio de 2009

Fiel imperfeição

Havia um olhar
Cheirava a árvore, vida, luar
Corpo só, corpo lento, corpo ao vento
Havia um sorriso
Vagava leve, distante, distraído
Os olhos e a boca
Encaixe, caixe, colorido
Cheirava a filme, sofá, amar
Cantavam sonhos
Fiéis imperfeições
Amantes do destino
Vibrantes intenções
O glamour do conforto
A alma brinca
Com sonhos em contramão
Com um cheiro morno
Um abraço torto
Um sorriso bobo
Suspeitava da convenção
Terno, louco, contorno
Será eterno em liberdade
Na memória
Na não realidade
Na distância dura
Na verdade crua, raridade
Será eterno enquanto
Não ser, não ter
Será a presença incolor
No desencaixe casto
No sujo pudor
Na esperança negra
Não existirá senso
Suas falas de divã
Não terá acalento
Não será vã

26/05/2009

Um comentário:

liviaapx disse...

biba, tava conversando hoje sobre blog com bianca na faculdade e ela comentou do teu... amei o que acabei de ler. Parabéns!!!